Antes de começarmos

Antes de entrarmos nas dicas essenciais para manter seu site WordPress funcionando, há algumas coisas que são importantes de antemão. Este artigo pressupõe que você já tenha um website em funcionamento, mas caso ainda não tenha começado, veja algumas dicas a serem consideradas antes de começar:

  1. Hospedagem e Instalação: Supondo que você não esteja configurando um site wordpress.com, o host escolhido pode ser uma decisão importante. Na Glimu, trabalhamos com vários hosts e descobrimos que a “Mocha Host” mesmo sendo uma empresa europeia e suporte em inglês, é o mais fácil de gerenciar e pode ajudar com alguns dos itens mencionados abaixo para evitar que as coisas corram mal. Além disso, é sempre melhor instalar na raiz do seu servidor. Usar as regras do .htaccess para examinar uma subpasta pode resultar em dores de cabeça desnecessárias ao longo do tempo.
  2. Certificado SSL: Você pode estar ciente de uma alteração recente que o Google lançou no Navegador Chrome, fazendo com que os domínios que não possuem um certificado SSL “Secure Sockets Layer” instalado, sejam exibidos como “Não seguros”. Pode não ser um requisito neste momento, mas mesmo se você não estiver coletando informações confidenciais de seus visitantes, é basicamente uma boa prática e geralmente um processo fácil de configurar isso desde o início. Pode ajudar na segurança do seu site, bem como ser recebido como uma decisão profissional por seus visitantes.
  3. Temas Premium e Drag & Drop Builders: É sempre melhor usar um tema WordPress “Premium”. Existem centenas, se não milhares, de temas gratuitos, mas pelo custo médio de ~ R$ 150 a R$ 200, você pode aproveitar algumas das melhores técnicas de codificação disponíveis, temas mais interessantes com mais opções, atualizações regulares e revisão. E que tem várias revisões de utilizadores que você pode ver antes de comprar. Na Glimu, trabalhamos quase exclusivamente com temas listados no Marketplace da Themeforest da Envato, e um que utiliza o plugin “Visual Composer” para funcionalidade de arrastar e soltar ou “Fusion Builder” para edição de conteúdo.
  4. Usuários, Acesso e Segurança: Vamos dedicar um artigo completo em um futuro próximo a este tópico, mas em poucas palavras:
    1. Proteja sua senha
    2. Restrinja o acesso dos usuários através da opção “Wordpress Roles”, e
    3. Pode usar plugins que adicionam segurança adicional à sua página de login (como prevenção de “Brute Force”, etc.).
Vamos começar em Como construir um site WordPress

Receba Novidades

Enviamos novos conteúdos novos e belos para a sua caixa de entrada regularmente. Aproveite cada boletim de notícias premium em seu e-mail.
Seu melhor e-mail
Seu email nunca será compartilhado

Vamos começar com: Como construir um site em WordPress

Basta perguntar aos melhores desenvolvedores de sites e eles vão atestar que a manutenção de um site wordpress não tem que ser um esforço demorado. Saber um pouco sobre como as coisas funcionam pode ajudar muito a manter seu site saudável. Quando se trata de qualquer software, inevitavelmente, ele fica desatualizado e precisa ser atualizado e, eventualmente, substituído. Mas o trabalho árduo que você fez produzindo conteúdo criativo em páginas e posts, bem como seu histórico com os mecanismos de busca, pode ser mantido quando as coisas acabarem dando errado. Aqui estão algumas das peças mais importantes para prestar atenção.

  1. Use um tema filho: Os melhores desenvolvedores (e qualquer tema “Premium” que valha a pena) usam o que é chamado de “tema filho”. Esse é um conjunto separado de arquivos que se sobrepõem ao tema original, permitindo que sejam feitas personalizações no código principal, mantendo um tema pai não modificado. Quando chega a hora de atualizar, você não perderá nenhuma personalização do código que você fez.
  2. Mantenha seu software atualizado: O WordPress regularmente é atualizado em seu código principal. É importante manter-se atualizado com essas revisões, pois elas fornecem segurança e desempenho geral. Além do WordPress, qualquer plug-in que você tenha instalado em seu site também precisa ser mantido atualizado e pelos mesmos motivos. É claro que isso também se aplica às atualizações de temas e, com todas as três atualizações atualizadas, você pode ter certeza de que está executando o código mais seguro e mais confiável. NOTA: A atualização de cada um deles requer alguma previsão. Certificar-se de ter backups, usar um tema filho e ter acesso ao FTP serão ferramentas que você usará para garantir que esse processo corra bem.
  3. Manutenção em andamento / Inspeção de erros: Às vezes, as ferramentas de API e de terceiros são desativadas. Às vezes, até as atualizações adequadas têm bugs e “bugam” as coisas. Certifique-se de visitar regularmente as páginas do seu próprio site e use as ferramentas de inspeção do seu navegador para ver se há algum erro. Uma pesquisa rápida de qualquer erro que você está tendo, deve apontar você na direção de uma correção rápida muita das vezes. Dica profissional: oChrome foi construído com um inspetor. Você pode clicar com o botão direito do mouse em qualquer lugar de uma página e escolher “Inspecionar elemento para acessar a interface”.
  4. Otimizar para velocidade de página: muitas vezes, as páginas carregam lentamente porque as imagens e o conteúdo da página não estão otimizados para a web. Ao fazer o upload de imagens em particular, verifique se elas são de alta qualidade, mas não de uma resolução tão grande que elas delongam tempos de carregamento da página. Em outras palavras, use um plug-in de compactação se estiver fazendo upload de imagens muito grandes ou faça a compactação antes de fazer o upload com um programa de edição de imagens.Veja 5 ferramentas gratuitas para compactação de imagens nesse artigo.

     

  5. Faça Backups Regulares: A manutenção e backups regulares pode ser o passo mais importante que você possa fazer e que oferece uma enorme tranquilidade. A Glimu sugere que você mantenha backups de várias locais seguros, para restaurar facilmente os dados do seu site caso o pior aconteça. Recomendamos que você mantenha backups separados dos seguintes itens e regularmente:1. Arquivo .sql do banco de dados
    2. Exportações geradas no WordPress
    3. Backups de contas de hospedagem e
    4. Backups da raiz em seu FTP. No futuro, produziremos um artigo passo a passo sobre como restaurar um site corrompido usando cada um deles, ou uma combinação de três ou mais, dependendo da complexidade do problema.